Início » Carros » Seguro para carro antigo: como funciona?

Seguro para carro antigo: como funciona?

Se você já tentou fazer seguro para carro antigo alguma vez, deve ter percebido que a tarefa não é tão fácil ou bem recepcionada quanto o seguro de um veículo com menos de uma década de atividade.

O motivo é razoavelmente simples: seguradoras simplesmente não possuem um interesse tão alto em carros antigos, pois eles não são tão vantajosos, em aspectos financeiros, para as instituições.

Seguro para carro antigo

Na prática, algumas seguradoras até aceitam o serviço, mas os preços costumam ser bastante altos, e acabam nem sempre compensando. Nestes casos, o proprietário simplesmente opta por aceitar o risco, uma vez que o valor do seguro pode tornar-se inviável em relação ao preço do carro – algo semelhante ao que acontece com os proprietários de motos, por exemplo.

Se você está no grupo dos que já fizeram ou pretendem fazer seguro para carro antigo, entenda quais são as dificuldades deste procedimento, quando os seguros específicos para isso vale a pena, e quais são suas vantagens:

Por que empresas recusam seguro para carro antigo?

O motivo pelo qual muitas empresas recusam o seguro para carro antigo geralmente está associado a uma análise de risco. Geralmente, entende-se que um carro antigo possui mais tendência a dar problemas e, eventualmente, entrar em colisões e problemas. Além disso, carros antigos costumam ser alvo mais frequente de ladrões que buscam peças para o mercado paralelo.

Todos essas fatores são, em última instância, um custo adicional para a seguradora, que torna a realização da apólice menos vantajosa para ela, financeiramente falando. Em geral, estes carros com mais de dez anos de circulação também possuem um valor reduzido, e faz com que o preço da apólice para um veículo antigo torne-se muito alto e inviável em comparação ao preço geral dos carros.

No final das contas, uma apólice consiste em um serviço cujo pagamento, a longo prazo e em grande escala, gere mais arrecadação do que gastos para a corretora. Quando falamos de carros antigos de valor reduzido e um seguro que tenha custo proporcional, essa margem é muito reduzida, ao ponto de muitas vezes nem ser permitida pela instituição.

Então porque algumas delas oferecem seguro para carro antigo?

Existem seguradoras que oferecem cobertura para carros de até mesmo vinte anos de circulação. Nestes casos, há basicamente duas modalidades principais.

Uma delas é o fornecimento do seguro “não compreensivo”. Trata-se de um seguro voltado exclusivamente para a proteção contra roubos e furtos, que não cobre acidentes e eventuais problemas de falha. Este seguro costuma apresentar um valor mais equilibrado, embora seja um serviço de abrangência reduzida.

Há, ainda, o seguro completo para carros mais antigos, que oferece o serviço padrão, geralmente fornecido para carros de tempo de circulação comum. Neste caso, o valor tende a ser mais alto, e nem sempre compensa para o usuário.

E o seguro para carros de placa preta?

Colecionadores com carros de mais de trinta anos em seu estado original também possuem uma gigantesca dificuldade de fazer um seguro. Neste caso, a rara disponibilidade de peças e a necessidade de cuidados especiais torna tudo ainda mais difícil.

Nestes casos, a solução mais interessante pode ser procurar uma seguradora que aceita a realização de um serviço que vai além da questão automobilística. Na prática, pode-se segurar praticamente qualquer coisa, desde que a instituição aceite. Uma boa opção é identificar o veículo como um item de coleção, cuja proteção será prevista de maneira distinta do uso de um carro padrão.

É necessário levar em conta que você provavelmente não usa um veículo de placa preta para o seu dia a dia, fazendo com que uma boa negociação possa resolver seu problema. Prepare-se, no entanto, para desembolsar um valor mais salgado para isso.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas