Início » Carros » Insufilm / Película automotiva: legislação e cuidados

Insufilm / Película automotiva: legislação e cuidados

O uso da película automotiva, também chamada de Insufilm, há muito tempo deixou de ser um processo de customização ou adaptação do veículo. A maior parte das montadoras, atualmente, já permitem que as concessionárias vendam os carros com as películas instaladas de acordo com o desejo do cliente.

As finalidades da película automotiva são variadas: para alguns, a estética é um fator importantes, enquanto outros apontam a proteção contra os raios solares, o calor e, até mesmo, como uma ferramenta contra a luminosidade excessiva.

Película automotiva

Qualquer que seja o motivo, sabe-se que o Insufilm é um dos “acessórios” mais presentes nos veículos atuais, mas é necessário dar especial atenção à questão. O Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN – regulamentou em 2007 os limites de segurança do uso das películas. Segundo o órgão, é possível que o uso exagerado do fator contra luminosidade coloque em risco a segurança do condutor e dos passageiros.

Entenda o que diz a legislação a respeito do uso de película automotiva, quais são os limites e quais são as consequências para o uso inadequado do Insufilm:

O que diz a lei?

Película automotiva limites

Segundo a resolução da CONTRAN, os limites para a aplicação da película automotiva são estabelecidos com base em sua restrição à luminosidade. Nas janelas laterais traseiras e no vidro traseiro, por exemplo, é possível utilizar películas bastante restritivas: é obrigatório que ao menos 28% da luminosidade externa seja mantida.

Nos vidros laterais dianteiros, no entanto, é necessário que ao menos 70% da luminosidade externa seja passada para o interior do veículo, enquanto o para-brisa dianteiro deve permitir que ao menos 75% da iluminação passe para o lado externo.

Segundo o órgão, a utilização do Insufilm de maneira mais restritiva do que esses limites pode colocar o condutor em risco ao retirar sua visibilidade adequada, sendo proibido e passível de multa de trânsito.

Quais as consequências de não cumprir a regulamentação?

Nos casos de não cumprimento dos limites máximos de bloqueio de luminosidade, o veículo pode ser apreendido para que a película automotiva seja retirada. Além disso, haverá a incidência de uma infração grave, com perda de 5 pontos na carteira de habilitação, além de multa financeira.

Isso significa que, caso o seu veículo seja pego em uma blitz, e as regras não estiverem sendo cumpridas, você poderá ter seu carro apreendido, além de voltar para casa com uma multa generosa em sua CNH.

Como escolher a película automotiva adequada

Além de escolher uma película que esteja dentro dos limites legalmente estabelecidos pela legislação brasileira, é importante comprar o acessório de fontes confiáveis, que sejam devidamente credenciadas no INMETRO e homologadas no Departamento Nacional de Trânsito.

As marcas que possuem tais permissões podem ser consultadas nos sites das duas instituições, garantindo que você terá boa qualidade e, sobretudo, segurança. Além dos problemas relacionados à legislação, o uso de película automotiva sem os devidos testes de segurança pode afetar a visibilidade e, até mesmo, na saúde dos seus olhos, bem como a durabilidade dos equipamentos internos de seu veículo.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas