Início » Carros » Chevrolet Classic 2017 deixa linha da GM após 21 anos

Chevrolet Classic 2017 deixa linha da GM após 21 anos

Com duas décadas de história, o Classic 2017 será o modelo que nunca chegará ao mercado. Ao que tudo indica, a GM simplesmente entendeu ser a hora de aposentar o modelo, após tantos anos.

No mercado de 1995, a não existência de um Classic 2017 faz bastante sentido. Seu hatch base não é mais parte da linha, e modelos que talvez pudessem inspirar o sedã já possuem sua própria versão alongada, como é o caso do Onix com o Prisma.

Pouco atrativo nos últimos anos, o Classic 2017 não recebeu pompas ou grandes anúncios sobre sua saída. É resultado de uma tentativa de alongar sua vida sem muitos motivos para tal – o que certamente influenciou em sua imagem final.

Saiba tudo sobre a aposentadoria do Classic:

O merecido descanso

Nada de muito barulho para a saída do Classic do catálogo da GM. Com modelo 2016 produzido e vendido, o ano de 2017 simplesmente não chegará para o carro. A GM optou por passar o recado da forma mais simples e clara possível: retirou o modelo do catálogo de seu site.

Com vinte anos de lutas e resultados moderados, o modelo tornou-se um clássico mais pelo tempo de exposição do que por seu sucesso. Inicialmente vendido como Corsa Sedan, o nome Classic surgiu mais tarde.

Aposentadoria definitiva?

O Classic é, em certa medida, um conceito versátil. Assim como foi inspirado no Corsa, poderia ter sua inspiração em qualquer hatch pequeno da GM, perdurando ao longo de gerações. Por isso, a aposentadoria de um modelo desses geralmente levanta suspeitas a respeito de sua  longevidade.

Fato é que, no caso específico do Classic, tudo indica que a aposentadoria seja definitiva. Os motivos são variados. Em primeira lugar, sua performance ruim nos últimos anos daria trabalho para o marketing em um projeto de retomada. Além disso, o modelo ficou muito cansado tanto em aspectos visuais quanto tecnológicos. Trazê-lo de volta representa um trabalho muito grande.

Há, por último, a concorrência interna. Se o Spark já é um hatch confirmado por aqui, o sedã Essentia – inspirado no compacto – também deve chegar em breve. Possivelmente, um ou dois anos ainda o afastam do mercado brasileiro. Mesmo assim, ainda é uma solução mais prática do que esforçar-se pela sobrevida do Classic.

Possíveis substitutos a caminho

Parece não haver dúvida de que é esta a solução para o espaço deixado pelo Classic 2017 que não chegará. Tecnicamente, o Essentia é um conceito para sedã compacto, e foi recém apresentado na Índia. Já há, no entanto, confirmações da montadora de que o modelo começará a ser fabricado em breve, e que quase nada será modificado.

Com a confirmação da chegada do Spark no mercado brasileiro e a inspiração do Essentia nele, a equação é quase óbvia. Em tempos de aposentadoria do Classic, o Essentia parece encaixar como uma luva. Mais moderno e interessante, o veículo pode fazer frente a opções como o Voyage da VW com maior apelo. Isso oferece à GM uma melhor perspectiva entre os sedãs mais baratos.

A história de um clássico

Se nada pode ser feito sobre o descanso do Classic 2017, resta relembrar seus vinte anos de história no mercado brasileiro. O modelo nasceu com o nome Corsa Sedan, pois seguia tal função, em 1995, modelo 1996. Utilizava um motor razoavelmente generoso para a época – um 1.6 capaz de produzir 92 cavalos de potência. Três anos mais tarde, estrearia seu primeiro 1.0, que acabou barateando o valor. Chegou, no período, a figurar entre os 10 carros mais vendidos do Brasil.

A segunda geração do modelo chegou apenas em 2002. Foi neste período que a transição de Corsa Sedan para Sedan Classic ocorreu. Um ano depois, o nome seria modificado para Chevrolet Classic, permanecendo até sua aposentadora.

Com a clara proposta de preço acessível, passou a ser vendido apenas com o motor 1.0, com pouco menos de 80 cavalos. Um pouco esquecido na linha, recebeu um facelift apenas em 2010, que foi mantido até o final de 2016, quando foi aposentado.

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas