Início » Todos os posts » Carros » Álcool ou gasolina? Qual é o mais econômico?

Álcool ou gasolina? Qual é o mais econômico?

Se você é uma daquelas pessoas que nunca sabe se deve abastecer o carro com álcool ou gasolina e fica na dúvida para descobrir se aquela promoção anunciada para o preço do etanol é vantajosa, há algumas regras simples para calcular e ter certeza.

Quando os carros flex tornaram-se populares no Brasil, diversos macetes para descobrir se o valor do álcool era econômico para o consumidor espalharam-se rapidamente, mas, à medida que a popularização do combustível se fortaleceu, seu preço disparou.

Leia também: 6 aplicativos para economizar combustível

Atualmente, com um mercado um pouco mais equilibrado, o cálculo para saber se o álcool é vantajoso segue sendo extremamente importante para quem quer economizar dinheiro com os preços dos combustíveis, que estão cada vez mais caros.

Confira dicas e análises importantes sobre o que fazer para decidir entre álcool ou gasolina na hora de abastecer o carro:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A regra dos 70%

Em geral, estima-se que o álcool tenha um desempenho de quilometragem 70% mais baixo do que o da gasolina. Por isso, para fazer um cálculo rápido, basta multiplicar o preço da gasolina por 0,7.

Na hora de fazer este cálculo para escolher entre álcool ou gasolina, você deve considerar que:

  • Se o valor final for superior ao preço do litro do álcool, o álcool é economicamente mais vantajoso;
  • Se o valor final for inferior ao preço do litro do álcool, a gasolina é economicamente mais vantajosa.

Na hora da disputa entre álcool ou gasolina, este é um cálculo rápido que geralmente oferece uma resposta bem precisa para o motorista escolher.

A regra sempre é certeira?

Não. A regra de eficiência dos 70% do álcool é uma estimativa que popularizou-se por estar geralmente adequada à realidade dos carros leves do Brasil. É evidente, no entanto, que cada carro apresenta sua particularidade e desempenho específico.

Se você quer ter um cálculo exato sobre a possibilidade de economia, o ideal é registrar a média de consumo do carro, tanto com gasolina quanto com álcool, isolando-as. Se o veículo fizer 12,5 km/l com gasolina e 9 km/l com álcool, isso significa que o cálculo deve ser feito com a razão de 72%.

Em alguns casos, as diferenças são ainda maiores e isso deve influenciar na hora da decisão final, considerando todos os fatores além da questão econômica.

Preço x Conveniência

É importante que o motorista leve mais coisas em conta do que a simples questão econômica quando o assunto é a escolha entre álcool ou gasolina. Há motoristas que sentem-se extremamente desconfortáveis ao ir abastecer o carro ou precisar parar na estrada.

Por mais óbvio que pareça, é sempre importante lembrar que o tanque de combustível de um carro possui um volume limitado e um tanque cheio de álcool significa mais paradas em relação a um tanque cheio de gasolina, em uma amostra de vários quilômetros.

Por isso, é necessário considerar se o valor efetivamente economizado na hora de abastecer compensa as paradas e idas ao posto de gasolina. Em geral, o preço final compensa, mas a decisão depende da disposição de cada motorista.

Velhos preconceitos

Um discurso que ainda pode ser ouvido por muitos motoristas (especialmente os mais antigos) é o preconceito em relação ao álcool, baseando-se em experiências ruins do passado. Quando o assunto é abastecer com álcool ou gasolina nos dias atuais, você pode simplesmente ignorar as histórias que dizem que “carro a álcool não pega em dias frios” ou qualquer outra coisa do gênero.

Há, de fato, fatores que você precisa considerar, como a conveniência e a questão ecológica, por exemplo, mas não há motivos para levar em conta os assuntos já ultrapassados que são repetidos há várias décadas.

Comentar

Clique aqui e deixe seu comentário

Carros 2019: Confira os principais lançamentos

Recurso de multas