Início » Dicas » Quilometragem adulterada: dicas para não ser enganado

Quilometragem adulterada: dicas para não ser enganado

É possível que você já tenha ouvido alguém falar que “só compra carros usados de pessoas de confiança”, ou que essa seja uma estratégia que você mesmo utiliza. Não é totalmente sem razão que muitas pessoas adotam sem essa filosofia. Há diversos “truques” praticado com má-fé, como a quilometragem adulterada, feita muitas vezes por vendedores que querem disfarçar o desgaste do carro.

A quilometragem adulterada pode ser feita em hodômetros analógicos e digitais, o que obriga potenciais compradores a estarem sempre atentos ao risco de fraudes. A quilometragem adulterada consiste em reduzir a quilometragem que o veículo marca como efetivamente rodada – como um veículo demonstrar ter rodado 50 mil quilômetros, quando na verdade percorreu 300 mil.

Confira algumas dicas para evitar ser enganado por uma fraude de quilometragem adulterada, adquirindo seu carro com maior segurança:

Sempre confira os registros no manual

Em primeiro lugar, você deve saber que um veículo sempre deve ser comprado com seu manual. Isso permite que você tenha acesso a uma série de históricos e configurações. A partir dele, você sabe se alguma peça foi trocada para um modelo diferente do original.

Além disso, manuais costumam manter registros de algumas alterações  e manutenção realizadas no carro. Se as páginas de registro estiverem faltando, ou se o proprietário não tiver mais o manual, este é o primeiro sinal de alerta que deve soar para você.

Peça pelos registros de revisão

Ao adquirir um carro, você deve questionar se as revisões foram feitas de acordo com a recomendação do fabricante. Se ela foram feitas adequadamente, o manual contará com registros da inspeção. Neste caso, há informações a respeito da quilometragem do veículo no momento da revisão.

Quilometragem adulterada

Assim, basta comparar os registros das inspeções com o valor mostrado no hodômetro. Obviamente, o carro não terá andado menos do que na última revisão, o que torna muito mais fácil realizar a conferência.

Faça a relação entre estado dos pneus e quilometragem marcada

Não importa o quão bem cuidado é um carro: se ele roda, seus pneus desgastam-se. Não é possível mentir a respeito disso. Faça uma análise: um veículo com trinta mil quilômetros marcados que nunca bateu, deve contar com seus pneus originais com certo desgaste.

Em geral, a quilometragem adulterada busca valores abaixo dos cinquenta mil quilômetros. Por isso, faça perguntas para ver se as respostas em relação ao uso dos pneus e a quilometragem apontada são condizentes.

O desgaste das peças diz muito

Faça uma análise cuidadosa em alguns pontos específicos do veículo que, muitas vezes, são ignorados. Os pedais estão completamente desgastados e o hodômetro marca 20 mil quilômetros? Os tapetes, acabamentos das portas e parte do volante estão excessivamente desgastados com apenas algumas dezenas de milhares de quilômetros apontados? Essas situações são suspeitas, e devem chamar sua atenção. Um veículo geralmente condiz, em seu estado, a respeito da quilometragem verdadeiramente rodada.

Busque por danos específicos

Os mostradores do painel parecem soltos? O vidro protetor está arranhado nas bordas, ou algo do tipo? Não há nenhum motivo para que essa parte do painel apresente desgaste, a menos que tenha sido mexida. Confira, com o vendedor, se algo foi feito na região para avaliar o risco daquela compra.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas