Início » Leis de trânsito » CNH com chip: o que muda com o novo documento?

CNH com chip: o que muda com o novo documento?

A CNH com chip é mais uma entre as várias (e bem-vindas) iniciativas para tornar a carteira nacional de habilitação mais tecnológica e fácil. Após o início do processo de adoção da CNH digital, que consiste em um aplicativo contendo as informações do condutor que substitui a necessidade de apresentação do documento físico, a CNH com chip promete agilizar outros processos típicos dos motoristas.

Feita com um novo formato e material, a CNH com chip terá adições tecnológicas que vão além do dispositivo. Em teoria, o chip permitirá mais segurança e, possivelmente, novas aplicações com seu uso, como um trabalho acelerado de conferência de documentos em paradas policiais.

Entenda o que é a CNH com chip, quais as mudanças, possíveis custos e informações já divulgadas (bem como as polêmicas envolvendo o documento):

O que muda?

A adoção da CNH com chip é, possivelmente, a maior mudança deste documento desde que ele surgiu. Pela primeira vez, o material utilizado deixa de ser o papel: a partir de agora, o modelo passará a ser feito inteiramente de plástico – nos mesmo moldes de um cartão de crédito, por exemplo.

Além da mudança de material e formato, é claro, a inserção do chip é a grande atualização. Embora não tenha sido plenamente justificada ainda, a ideia é que o chip permita uma série de usos mais avançados, no sentido de facilitar a vida do usuário em seu cotidiano.

Os próprios responsáveis pelo projeto no Governo citaram as possibilidades de integração com pedágios, ou possibilidade de unificação de documentações.

Quanto custará?

Ainda não foram definidos os valores para a adoção do novo modelo. Como de costume, cada Departamento de Trânsito estadual definirá seus preços, prazos e formas de pagamento. Estima-se, no entanto, que a mudança acompanhe um aumento de preço – da mesma maneira que já aconteceu com a mudança para a carteira com QR Code em papel, que nem mesmo foi totalmente adotada e já se tornará defasada.

Se você quer saber o preço para preparar o bolso, é importante acompanhar as notícias e divulgações do DETRAN do seu estado, onde a instituição informará os valores quando os definir.

Qual o prazo de implementação do novo modelo?

Segundo as estimativas governamentais, é provável que o novo modelo deva estar disponível a partir do primeiro dia de 2019 em todo o Brasil. Se cumprido este prazo, no entanto, não é necessária pressa: como é hábito no DETRAN, só precisam se adaptar aos novos moldes as carteiras que forem atualizadas.

Por isso, se sua CNH ainda estiver em dia em 2019, solicitar o modelo com chip é opcional. A troca só será obrigatória quando seu documento atual já estiver efetivamente vencido.

Vantagens e desvantagens da CNH com chip

Em meio à novidade da CNH com chip, não faltou – é claro – uma pitada de polêmica. Entre os aspectos positivos, destacou-se bastante a maior segurança contra fraudes, bem como a maior facilidade de integrar a documentação com serviços mais tecnológicos e aos próprios sistemas relacionados ao trânsito no Brasil. Os usos são efetivamente interessantes, mas ainda não há declarações do Governo sobre quais são as principais intenções em relação à mudança.

Por outro lado, uma série de críticas foram feitas a respeito da mudança. Grande parte delas está relacionada às indefinições do departamento em relação às tecnologias adotadas. Pouco tempo atrás, houve uma mudança significativa no modelo da CNH. A própria CNH Digital, recém lançada, estimulou muitos usuários a atualizarem seu documento (pagando pelas taxas).

Logo em seguida, a CNH com chip foi anunciada, tornando defasado um documento que prometia uma série de benefícios para o usuário, e que só será considerado atual por cerca de um ano. Somadas aos custos, estes fatores formam parte das críticas dedicadas ao assunto.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas