Início » Carros » Suzuki Swift 2017: Principais novidades do modelo

Suzuki Swift 2017: Principais novidades do modelo

Com intenção de renovar boa parte de sua linha no Brasil, a Suzuki busca uma participação de mercado superior aos reduzidos 0,2% da movimentação nacional. Com o S-Cross atualizado para competir no duro segmento dos SUVs, tudo indica que é o Swift 2017 o próximo da linha.

O hatch receberá atualizações visuais com elementos bastante interessantes, e algumas de suas linhas acentuadas. Além disso, uma nova motorização deve acompanhar o Suzuki Swift 2017. Há quem cogite, até mesmo, o desenvolvimento de uma versão híbrida – uma aposta curiosa da Suzuki para um modelo de baixo número de vendas.

Sabe-se que a montadora mantém, para o Swift, uma estratégia de conformidade em relação ao mercado global. A tendência deve ser mantida com a atualização, por aqui, mas não há confirmações oficiais. Saiba o que se cogita para o Suzuki Swift 2017, e quais as características que devem ser apresentadas com o modelo:

Mudanças ainda não são oficiais

As informações sobre uma mudança para o Swift 2017 ainda são especulativas. Trata-se, na verdade, de uma dedução a respeito dos planos anunciados da montadora em relação ao catálogo disponível.

Além do conhecido desejo da Suzuki d desempenhar melhor no mercado brasileiro, há a idade da geração atual. O modelo foi lançado em 2010, e já oferece certo defasamento. Além disso, sabe-se que o Salão de Genebra deverá lançar a nova geração na Europa. Tudo indica, portanto, que esta geração deva aparecer por aqui logo depois.

Não há, até o momento, informações específicas sobre o tipo de mudança esperada. Não é possível determinar, por exemplo, se a nova geração continuará sendo oferecida apenas nas versões Sport, ou se haverá uma versão mais competitiva do modelo.

Swift não abandonará visual característico, mas tem novidades

Baseando-se no modelo japonês que já foi atualizado e nas fotos que já circulam como o futuro do modelo por aqui, é possível perceber qual a estratégia de atualização visual a ser adotada pela marca.

Nas linha gerais, o modelo recebe novo fôlego para suas características típicas. Trata-se, verdadeiramente, de uma atualização. Os típicos faróis dianteiros devem manter o formato, mas com redefinição das bordas e disposição. O modelo deve tornar-se mais agressivo, mas sem abandonar sua “simpatia” característica. Para quem considera as lanternas traseiras polêmicas, o estilo segue o mesmo, mantendo as dúvidas dos críticos.

Informação surpreendente é a possibilidade de modificação das dimensões. Para adaptar-se a outras plataformas da montadora, é possível que o Suzuki Swift 2017 chega ao mercado “encurtado”. Com menos comprimento e mais largura, o modelo deve adotar uma postura ainda mais crossover.

Destaque para as versões já apresentadas globalmente é o estilo “teto flutuante”. Os detalhes em preto que seguem a linha superior das portas para a parte traseira da carroceria parecem suspender o teto do resto do modelo, em cor diferente da carroceria.

Nova motorização e possibilidade de opção híbrida

Mudanças também são esperadas sob o capô. O problema, no entanto, está na divergência sobre as opiniões de quais motores chegarão ao mercado. Parece consensual a chegada de uma versão 1.0 turbo de três cilindros, da família Boosterjet da montadora. O modelo deve oferecer pouco mais de 110 cavalos de potência para o Suzuki Swift 2017.

Há quem discuta o propulsor do Swift Sport. Para alguns, será mantido o 1.6 atual, enquanto outros apostam em um 1.4 melhorado, capaz de gerar mais potência. Para o mercado brasileiro, ainda é difícil definir qual será a escolha da montadora japonesa.

No mercado europeu, muito ainda apostam em um 1.2 a gasolina combinado com um propulsor elétrico. Seria um híbrido leve, possivelmente sem sistema de plug-in, com o objetivo de oferecer uma boa taxa de consumo sem o risco de encarecer o modelo.

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas