Início » Todos os posts » Carros » Salão do Automóvel de Genebra 2018: o que aconteceu?

Salão do Automóvel de Genebra 2018: o que aconteceu?

Foi-se o tempo em que as atualizações de carros diziam respeito apenas ao visual e à potência do motor, e o Salão do Automóvel de Genebra 2018 – evento mais importante do setor – mostrou isso com muito vigor.

O evento realizado na Suíça reúne a maior parte dos lançamentos globais das marcas, desde novidades para o mercado dos “meros mortais”, até verdadeiras obras de arte sobre rodas com preços cotados ao milhões de reais.

Salão do Automóvel de Genebra 2018

O que acontece por lá é, inevitavelmente, o que dita o ritmo e as tendências do mercado durante o resto do ano, e é por isso que veículos de imprensa de todo o mundo fazem a cobertura de seus lançamentos.

Saiba mais sobre quais foram as propostas mais interessantes do Salão do Automóvel de Genebra 2018, e o que esperar para o ano no mercado:

Qual foi o tom do Salão de Genebra?

Se os últimos anos apresentavam uma certa consciência de que o mercado não ia bem, apostando na melhoria futura, o Salão do Automóvel de Genebra 2018 parece marcar a retomada da força automotiva e da confiança no crescimento do mercado.

A boa notícia é que essa confiança permite ousar e ditar novas tendências para o mercado. Isso significa que os elétricos e híbridos continuaram recebendo enorme atenção, enquanto propostas cada vez mais ousadas em relação a autônomos e, até mesmo, inusitados carros voadores foram possíveis.

Além disso, o segmento de altíssimo desempenho seguiu inovando, com mais uma versão do superesportivo da Bugatti batendo seus próprios recordes.

Atenção aos elétricos e híbridos

É óbvio que a maior exposição de automóveis do mundo reserva um grande espaço para os híbridos e elétricos, especialmente em tempos em que a próprio Europa os referencia como a versão padrão dos carros em um futuro próximo.

Atualmente, quase toda marca de rua tem seus modelos ou projetos, e é no Salão de Genebra que eles costumam ganhar vida. Daqueles que chegam ao Brasil, o maior destaque vai para a família I.D. da VW, que será tratada com um tópico próprio neste artigo.

Expectativa em relação aos voadores

Para quem pensa que elétricos e híbridos são uma representação do futuro, pensar em carros voadores pode ser surpreendente. A verdade é que desde o ano passado alguns projetos já tinham sido apresentados, com promessa de viabilidade em um futuro breve.

Exemplo disso é o PAL-V, modelo holandês que prometeu ser entregue ao mercado ainda em 2018 durante a última edição do Salão. O modelo foi reintroduzido no evento, mas não foram anunciadas as datas oficiais de lançamento, para a infelicidade dos entusiastas.

No Salão do Automóvel de Genebra 2018, o voador que roubou a cena, no entanto, foi o Pop.Up.Next, da Audi. Produzido para ser completamente autônomo, o modelo é capaz de decidir entre módulos de estrada e voo, através de sistemas próprios de identificação.

VW marca presença entre os autônomos

Como já mencionado, a marca que mais recebeu destaque entre os projetos com potencial de mercado e competitividade foi a VW, com mais um conceito da família I.D.. Desta vez, foi o I.D. Vizzion, projetado para não apenas ser autônomo e totalmente elétrico, mas capaz de aposentar de vez o volante e os instrumentos do painel do veículo.

Mercado automotivo não teve medo dos luxuosos

Outro destaque do evento foi o Bugatti Chiron, modelo de linha mais potente do planeta. Capaz de impressionar a qualquer pessoa com seus 1.500 cavalos de potências, o carro ficou ainda mais rápido, mas sem a adição de nenhum cavalo.

Algumas mudanças em relação à aerodinâmica, suspensão e reduções de peso permitiram que ele fosse 5 segundos mais rápido que o recorde anterior na pista de testes italiana. Para quem quiser o super veículo, as encomendas já podem ser feitas com o preço módico de cerca de R$ 12 milhões.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas