Início » Motos » Royal Enfield Himalayan 2017: Para qualquer terreno mesmo!

Royal Enfield Himalayan 2017: Para qualquer terreno mesmo!

Se a Royal Enfield retomou um crescimento de suas atividades no planeta com os modelos clássicos, a Royal Enfield Himalayan chega para mostrar que a marca também tem muito de novo para oferecer. O modelo é uma versão off-road da icônica marca de modelos especiais.

Segundo o próprio diretor de negócios internacionais da marca, Arun Gopa, ela é resultado de um aprendizado: “Nosso maior aprendizado durante todos estes anos de experiência foi que a melhor motocicleta para montanhas como o Himalaya não é aquela que tenta dominar a paisagem, mas aquela capaz de integrar-se às suas características”.

É justamente essa a proposta da Royal Enfield Himalayan 2017: uma moto capaz de andar em qualquer terreno. Todas as suas partes são desenvolvidas para trabalhar a favor do terreno em que ela passa. A suspensão é testada para aguentar todo tipo de obstáculos, e os pneus abrangem a maior quantidade de terrenos possível. Junto a isso, uma pilotagem de resposta rápida e controle a torna ideal para cruzar terrenos difíceis.

Infelizmente, o modelo não faz parte do catálogo da marca que chegará ao Brasil, por enquanto. Não custa nada, no entanto, conhecer um pouco mais sobre a Royal Enfield Himalayan 2017:

Feita para cruzar qualquer terreno

O quadro da Royal Enfield Himalayan foi especialmente desenvolvido pela Harris Performance com um briefing muito claro: ser tão ágil quanto estável. Isso significa que a suspensão trabalha para oferecer conforto e suavidade a despeito de terrenos complicados.

Além disso, a boa altura combinada a rodas de tamanho especialmente pensado para terrenos difíceis garante que pedras e raízes mais altas não atrapalhem o trajeto por baixo. A combinação destes elementos garantem que motociclistas aventureiros de longa data e iniciantes possam aproveitar dos benefícios da Royal Enfield Himalayan.

Alto torque e autonomia

A Royal Enfield Himalayan 2017 utiliza um motor novo, batizado de LS410. O propulsor é desenvolvido com a intenção de fornecer torque mais alto a giros mais baixos, para garantir que não falte força à moto. O resultado é mais facilidade para subidas e manobras que exijam mais força imediata.

Pensando na versatilidade de seu uso, a Royal Enfield Himalayan 2017 também utiliza materiais duráveis que exijam pouca manutenção. O próprio motor foi desenvolvido para trocar o óleo apenas a cada dez mil quilômetros, a despeito da possibilidade de uso intenso.

Seu tanque de 15 litros também oferece uma autonomia generosa, aproximando-se dos 450 mil quilômetros com um abastecimento. Além disso o modelo já vem,de fábrica, com estrutura especial para a colocação da bagagem e acomodação de itens.

Usabilidade e dirigibilidade são palavras de ordem

Não espere um painel digital altamente avançado, que beire uma central multimídia típica de SUVs na Royal Enfield Himalayan. Ela é desenvolvida para gerar uma experiência de pilotagem única. No painel, mostradores simples mostram velocidade, direção, temperatura do ambiente e controles de viagem com tempo e tempos de pausa. Em resumo, reúne as informações necessárias para uma viagem de aventura.

Além disso, percebe-se um claro foco em oferecer conforto físico para o piloto. Com o assento alto e ergonomia evidente no guidão, a moto deixa claro que não será nada ruim partir para uma longa viagem sobre ela.

Royal Enfield Himalayan 2017 não chega ao Brasil

Se uma das grandes novidades do motociclismo em 2017 é a tão esperada vinda da Royal Enfield para o Brasil, a Himalayan infelizmente ainda não estará no catálogo em 2017. Entre as motos que chegam por aqui, a Classic, a Bullet e a Continental GT – todas nas versões 500 cc ou mais – recheiam o catálogo.

Ainda é cedo para saber se os outros modelos, incluindo a tão esperada Himalayan vai chegar por aqui nos anos futuros. Muito provavelmente, isso depende dos resultados de vendas e da recepção do modelo no mercado nacional.

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas