Início » Carros » Pneus Run Flat: funcionamento, vantagens e desvantagens

Pneus Run Flat: funcionamento, vantagens e desvantagens

Os pneus run flat são cada vez mais comuns em carros de valor um pouco maior, mas nem todo mundo sabe como eles funcionam. Ter um pneu furado é algo que, muitas vezes independe do motorista e da manutenção, podendo ocorrer através de acidentes bobos. Isso coloca a segurança de todos os envolvidos em risco, além de ser um problema significativo.

Os pneus run flat são aqueles que permitem que o motorista ainda rode entre 45 e 60 minutos após furar, ou – ainda – mais de 150 quilômetros, em geral. Isso facilita bastante o processo, e permite que você leve o carro direto para a oficina ou borracharia, além de diminuir os riscos de acidentes.

Entenda como funcionam os pneus run flat, quais são seus benefícios e seus pontos negativos:

Como funciona o pneu run flat?

A maioria dos pneus run flat atuais são do tipo chamado auto-suporte. Suas paredes laterais são altamente reforçadas, o suficiente para sustentar o peso do carro mesmo com o pneu murcho ou completamente vazio em função de um furo.

Por isso, quando o pneu é furado e o ar sair, o pneu run flat ainda tem autonomia de seguir por mais de uma centena de quilômetros, sustentando o peso do veículo com segurança.

Vantagens dos pneus run flat

Entre as principais vantagens deste tipo de equipamento, destacam-se:

  • Poder conduzir mesmo com o pneu furado: o principal benefício dos pneus run flat é a possibilidade de andar por mais de 150 quilômetros, depois que ele fura. Isso evita que o motorista precise sair do carro onde está para trocar o equipamento imediatamente;
  • Maior estabilidade caso o pneu fure: quando um pneu fura, é comum que a perda de ar cause perda rápida de estabilidade e, em alguns casos, pode até gerar uma acidente. Com um pneu run flat, a estrutura segura o peso do veículo, causando menos instabilidade, e permitindo que o acontecimento seja muito mais seguro;
  • Mais espaço interno: para fabricantes que utilizam a tecnologia, um jogo de pneus run flat também significa que o carro não necessita de um pneu estepe. Isso garante mais espaço interno para ser utilizado em qualquer que seja a estratégia;

Desvantagens dos pneus run flat

Pneus run flat

Apesar de representar uma grande vantagem na maior parte do tempo, o uso do pneu run flat pode ter aspectos negativos. Geralmente relacionados a custos e manutenção, estas desvantagens justificam o motivo pelo qual estes pneus ainda não são utilizados na maioria dos modelos mais populares:

  • Maior desgaste: apesar de ser mais reforçado, o peso e o material dos pneus run flat tende desgastar mais com o tempo. Acredita-se que o material seja mais macio, para compensar a maior dureza em função da estrutura interna rígida, o que leva a borracha a gastar-se de forma mais intensa;
  • É mais difícil identificar um pneu run flat furado: embora sejam mais resistentes, pneus run flat também furam. Quando isso acontece, sua estrutura para manter o pneu em funcionamento pode dificultar para que o motorista identifique o problema., caso não tenha percebido na hora. Quando o tempo ou distância máximos do pneu furado ultrapassam a garantia, os efeitos são os mesmos de um pneu comum;
  • É mais difícil identificar que o pneu precisa ser calibrado: se você conta com o visual para identificar o momento certo para calibrar os pneus, isso pode ser um problema. Em geral, é necessário ter equipamentos de monitoramento da pressão dos pneus, pois a estrutura rígida dificulta a identificação;
  • Custo: pneus run flat torna o carro mais caro, e fazem com que a troca de pneu também seja mais custosa. Estima-se que os pneus run flat sejam até 30% mais caros do que os convencionais;
Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas