Início » Carros » Novo Kwid 2017: a estreia do sucessor do Clio

Novo Kwid 2017: a estreia do sucessor do Clio

Em circulação na Índia há algum tempo, o Kwid deve finalmente chegar ao Brasil em 2017 para aposentar o Clio, praticamente abandonado pela Renault. É um subcompacto com proposta diferente dos outros no mercado – mais robusto, mais alto e com um visual que não busca passar a impressão de um urbano descolado, pode agradar aos que não gostam da tendência de design dos compactos atuais.

Confira as informações sobre o Kwid 2017 da Renault, que promete entrar com força na briga dos subcompactos brasileiros:

Um subcompacto com cara de SUV

Foto: Rumors Cars/Reprodução
Foto: Rumors Cars/Reprodução

Uma dos principais diferenciais do Kwid em relação aos subcompactos que estarão competindo com ele é o visual um pouco mais offroad que ele apresenta, em comparação aos modelos ultra-urbanos que são demonstrados no Up! e no Mobi, da VW e da Fiat, respectivamente.

Na prática, o modelo brasileiro possui esta cara de SUV apenas no quesito visual, pois é um fator herdado da versão indiana do Kwid – lá, as condições péssimas das vias (ainda piores do que aqui) exigem que até mesmo os carros pequenos apresentem uma suspensão mais reforçada e uma construção um pouco mais robusta.

De acordo com os flagras já realizados nos protótipos que circularam pelo Brasil, pouca coisa deve ser mexida em relação ao visual indiano (estimando-se uma modificação na altura da suspensão e nos espelhos retrovisores, que foram escondidos nos carros que circulavam).

Aposentando o Clio

A missão do Kwid é bastante clara: aposentar o Clio de maneira definitiva para poder competir com os subcompactos atualizados do mercado. O Clio já teve, no mercado brasileiro, seus momentos de boa recepção, mas não conseguiu acompanhar o ritmo do mercado dos compactos e subcompactos, relegando-se quase à posição de modelos como o Palio Fire, mas sem o apelo econômico necessário.

Cogita-se o cargo de um substituto para o Clio desde 2013 e o Kwid confirmou-se como uma opção no ano de 2015, com expectativas não concretizadas de estreia ainda em 2016. O fato é que ele se torna uma boa opção por seu design diferenciado, mas pode sofrer por não parecer um carro tão atual quanto o Mobi, por exemplo.

Estima-se que o foco da Renault esteja nas versões de entrada do Kwid, para competir em valor e proposta de robustez – que é um fator que desagrada quem busca um visual menos frágil nos subcompactos.

2016 Renault Kwid

Motorização três cilindros

Foto: Rumors Cars/Reprodução
Foto: Rumors Cars/Reprodução

É praticamente confirmado que o motor utilizado no Kwid em 2017 será o três cilindros da Renault – o mesmo que já faz o Nissan March rodar. O 1.0 deve gerar algo em torno de 80 cavalos de potência para este veículo leve, combinando desempenho razoável e boa economia de combustível.

Embora não seja este o motor indiano – onde se utiliza um 0.8 de quatro cilindros – não há motivos para a Renault não utilizar a versão brasileira já bem estabelecida no mercado, que oferece mais potência do que a versão asiática.

Valor estimado

A tabela de preços do Kwid 2017 ainda não foi divulgada, mas não deve estar abaixo dos trinta mil reais, considerando os valores do já cansado Clio. A previsão mais segura é que a versão de entrada esteja alinhada com os valores do Mobi para 2017, variando em cerca de mil ou dois mil reais a mais do que a marca dos trinta.

3 Comentários

Clique aqui e deixe seu comentário

  • Nunca vi tanta demora pra lançar um carro.Vai acabar caindo no mesmo erro da Volks que demorou meia década pra mexer no Gol e até agora nada, até que perdesse todo o mercado pro lônix e pro hb2ó .Lancem logo esse carro!!!!!! Não aguento mais esperar…

  • O grande Impasse ao lançamento do Renault Kwid – é o público para qual ele se destina: classe D e E; que no momento Não tem dinheiro ( ) – Este é o motivo do não lançamento.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas