Início » Carros » Nova Montana 2017: chegada da terceira geração

Nova Montana 2017: chegada da terceira geração

Durante o início do ano, especulou-se se a Chevrolet realmente estaria trabalhando em uma Montana 2017 para entregar ao mercado ou se pensaria em um veículo novo – talvez, até mesmo em outra categoria, como um concorrente da Renault e da Fiat nas recém lançadas picapes intermediárias.

A posição oficial finalmente foi revelada e, surpreendentemente, foi a de voltar a dar a atenção necessária à Montana, que parecia abandonada havia alguns anos no mercado local, recebendo apenas adaptações a seus modelos de inspiração quando estes recebiam atualizações.

A GM Brasil diz que irá trabalhar de verdade na Montana 2017, inclusive entregando uma terceira geração do veículo, que parecia mais próximo da aposentadoria do que de uma nova geração, nos últimos tempos.

Saiba o que esperar da nova versão da picape da Chevrolet em 2017:

Nova geração, nova inspiração

nova-montana-2017

A nova geração da Montana claramente busca resolver um problema que sempre foi apontado no veículo: seu visual. Pouco expressivo e bastante ignorável, o design era, até então, um dos pontos mais fracos da picape, que – em suas últimas versões – trazia sua inspiração do Agile.

Segundo a GM, o plano é outro, agora. Em sua terceira geração, a Montana 2017 deve ser inspirada sobretudo no Onix, que possui um visual bastante consolidado no mercado brasileiro, o que pode auxiliá-la a atingir resultados de vendas melhores.

nova-montana-interior

A montadora ousou, inclusive, afirmar que o carro trará linhas que remontam a ideia visual do sedã médio da linha da Chevrolet, o Cruze. Se o plano obtiver sucesso, certamente trata-se de um passo inédito na construção de uma Montana que seja verdadeiramente competitiva em sua categoria.

A ideia é, aliás, bastante compreensível, considerando o recente esforço da marca em adotar um identidade visual nivelada para cima, dando a todos os seus veículos um toque diferenciado de sofisticação inspirada no sedã.

nova-montana-2017-frente

Fim da cabine simples

Outro passo corajoso da GM foi adotar uma política semelhante à concorrência em relação à cabine da picape. Para evitar a imagem de “opção de baixo orçamento” do veículo, a montadora já declarou que, assim como a Strada e a Saveiro, só oferecerá as versões de cabine estendida e cabine dupla na Montana 2017, acabando de maneira definitiva com a versão simples (que poderia ser, aliás, um de seus diferenciais, pensando sob uma perspectiva pragmática).

nova-montana-2017-traseira

Mais potente

Outro anúncio relevante a respeito do veículo é a substituição do já cansado motor 1.4 de 99 cavalos de potência pelo 1.8 utilizado no Cobalt, que apresenta cerca de 10 cavalos de potência a mais, mas um torque 50% maior do que o motor atual, o que ofereceria uma possibilidade de aplicação profissional mais intensa para a Montana 2017.

Montana 2017: Preços, versões e concorrência

Diferentemente do que está prestes a ocorrer com todo o resto de sua linha, onde modelos e preços receberão um upgrade proporcional para dar espaço ao Spark e grandiosidade ao Onix, há pouco espaço para a Montana 2017 subir seu preço.

Na verdade, se a GM estivesse preocupada apenas com seus concorrentes diretos e com a queda do mercado automobilístico, a Montana já não teria a força necessária para subir seus preços, mas este não é todo o problema da montadora.

O segmento das picapes do tamanho da Montana 2017 está perigosamente próximo do segmento de picapes intermediárias recém lançadas – em especial à Renault Oroch, que possui um valor bastante competitivo em relação aos carros menores.

Por isso, a Montana 2017 só deve modificar seu valor no que diz respeito à troca de cabine, pareando os números com o de seus concorrentes, sem fugir do esperado no quesito “preços”, quando chegar de forma definitiva ao mercado.

  • Montana LS: R$ 45.550
  • Montana Sport: R$ 55.550

12 Comentários

Clique aqui e deixe seu comentário

  • Muito simpleszinha não muda quase nada todo ano,ta na hora de lançar um montana cros com 4 portas mais alta ai sim.

    • TENHO UMA ANO 2013 , 1.4 O QUE É RUIM QUANDO VAI A UMA RUA QUE TEM UMA SUBIDA MAIS ELEVADA SE O AR ESTIVER LIGADO O RENDIMENTO DO MOTOR CAI MUITO TEM QUE POR ATÉ NA 3ª OU DESLIGAR O AR
      GOSTO DA MONTANA MAIS É PRECISO REVER A POTENCIA PARA 1.8 , TIVE UMA 1.8 COM O AR LIGADO NAO FAZIA DIFERENÇA ,

  • disparado o melhor custo benefício, pois é derivada do ágile e não de um gol e pálio, além de ter capacidade de carga, tem um conforto e estabilidade impressionante, já tive strada e saveiro mais nada se compara com a montana.

  • Tenho uma montana 1.4 (2012). É o melhor custo benefício quando se trata de carro para trabalho. O consumo está dentro do esperado 12k/h com ar-condicionado ligado e numa média de 130-145 km/h !!! A suspensão da minha durou exatos 4 anos; pois cuido bem dela. Gosto da posição de dirigir (alta), acho bem melhor do que a saveiro cross.

  • Eu tenho uma CONQUEST 1,8 ano 2006, hoje com 177.000 km me satisfaz plenamente. porque as de outra marcas não me satisfaz. Não vejo a hora dessa 2,017 com motor 1.8 chegar para que eu possa trocar a minha, antes de que com pesar eu tenha de troca la porque os anos pesam .

  • AiAS DA EBENÉZIA ZÉ DOCA MA
    SOU USUÁRIO DA MONTANA, SOU APAIXONADO PELO CARRO E ESTOU ESPERANDO A NOVA SENDO CABINE DUPLA. JÁ ME ACONCELHARAM A TORO, MAS GOSTO MUITO DO QUE JÁ CONHEÇO.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas