Início » Todos os posts » Carros » Nikola One: O Caminhão híbrido-elétrico do futuro

Nikola One: O Caminhão híbrido-elétrico do futuro

O Nikola One é um veículo destinado a mudar a forma como entendemos meios sustentáveis de abastecimento. Quando pensamos em um veículo elétrico ou híbrido, já é natural imaginarmos um sedã, um hatch, ou – até mesmo – SUVs e esportivos. Possivelmente, no entanto, não imaginamos a possibilidade de que seja um caminhão.

Por mais surpreendente que pareça, o Nikola One é, na prática, um enorme caminhão híbrido. Trata-se de um modelo capaz de carregar trinta e seis toneladas de peso. Faz todo este processo com gás natural no tanque e energia nas baterias.

O caminhão é um projeto da Nikola Motor Company, uma start-up recente, que já impressiona o mercado com sua ousadia. Enquanto outros modelos são desenvolvidos por empresas mais tradicionais, o Nikola One possui a proposta de já chegar funcional ao mercado.

Saiba o que esperar deste projeto impressionante, e quais são suas propostas:

O que será o Nikola One?

As primeiras revelações sobre o Nikola One como um projeto que sairia do papel vieram em maio. Foi quando seu design e funcionamento foram finalmente revelados. Foi a confirmação de que seria um caminhão tipo truck, movido a gás natural veicular e eletricidade.

O nome, Nikola One, é obviamente uma homenagem a Nikola Tesla, um dos principais pioneiros da utilização da eletricidade. É necessário cuidar, no entanto, para não confundador a Nikola Motor Company com a gigantesca Tesla Motors.

Antes de maio, a empresa desenvolveu seu protótipo sem fazer muito alarde. Quando o anúncio oficial chegou ao mercado, foi devastador. Segundo o anúncio de seus criadores, foi possível obter resultados onde não houve nenhuma emissão de gases poluentes.

Potência impressionante, alta autonomia e recarga rápida

Há coisas que impressionam mais, sobre este caminhão, do que puramente sua proposta. Seus dados são extraordinários. Segundo a empresa, o Nikola One precisa de apenas 15 minutos de carga, com o tanque cheio, para rodar ao menos mil milhas. Em quilômetros, isso representa uma distância de 1.600 km.

Segundo o CEO da empresa, todos estes dados serão comprovados no início de dezembro, em nova apresentação com o protótipo. Além disso, espera-se que o caminhão seja capaz de utilizar outros tipos de combustível para fazer companhia à eletricidade, além do GNV.

Uma turbina dentro do caminhão alimenta um grupo de baterias, carregando-o. As baterias também aproveitam a energia capturada do atrito de frenagem. Este grupo energético alimenta seis motores elétrico. Somados, oferecem mais de dois mil cavalos de potência para a máquina.

Diferencial em relação a outras propostas do tipo

É bem verdade que, apesar de seu caráter inovador, o Nikola One não é o primeiro caminhão elétrico/híbrido a ser projetado. A própria Tesla Motors e a Mercedes-Benz já demonstram esforços em seus modelos elétricos há alguns anos.

Segundo a declaração do CEO da Nikola, no entanto, seu projeto é bastante diferente. Na perspectiva do empresário, os projetos das outras empresas são apenas protótipos, com autonomia muito baixa e exigência de horas de recarga. Isso retiraria a viabilidade comercial dos projetos – o que não acontece com seu produto.

Trevor Milton, CEO da companhia falou, durante o evento:

“Não sabemos de nenhum outro caminhão no mundo com zero emissões poluentes, capaz de carregar 80 mil libras [36 toneladas] por mais de mil milhas [1,6 mil quilômetros] sem precisar parar nenhuma vez.”

Sem data de chegada confirmada, pré-venda já acontece

Se até maio a empresa operava em silêncio quase absoluto, a nova fase já empolga consumidores. Segundo a companhia, mais de sete mil reservas, com depósitos prévios, foram realizadas para garantir um lugar na fila de recebimento do modelo.

A empresa também revelou que pretende lançar um meio de financiamento para a compra do caminhão. Haveria, neste caso, uma taxa mensal entre 4 e 5 mil dólares de parcelas, e o primeiro milhão de milhas percorridas teria o combustível bancado pela empresa – o que potencialmente pagaria o valor das parcelas, convertendo-se o combustível em lucro de transporte.

Comentar

Clique aqui e deixe seu comentário

Carros 2019: Confira os principais lançamentos

Recurso de multas