Início » Todos os posts » Carros » JAC T3 2017: Lançamento marcado por atrasos

JAC T3 2017: Lançamento marcado por atrasos

Prometido para 2016, o JAC T3 2017 (que é seu ano de lançamento, a partir de agora) é o compacto “aventureiro” da montadora chinesa para o mercado brasileiro. O modelo chegaria no mercado brasileiro com o intuito de enfrentar nomes estabelecidos, como Renault Sandero Stepway e VW Crossfox.

No que diz respeito a escolhas de design e personalidade, parece algo absolutamente diferente do que a montadora fazia para o mercado nacional até então. Embora ainda não seja dono de uma assinatura visual singular, está melhor resolvido o acabado.

Por isso, quando o atraso na chegada foi anunciado, gerou uma certa decepção. A JAC conseguiu algum inserção no mercado nacional e, abalada pela política de cotas, parece buscar novas soluções de forma incansável.

Saiba o que esperar do JAC T3 2017, quando e como o pequeno crossover chega para o mercado brasileiro:

Lançamento atrasado

O atraso no lançamento possui um motivo bem conhecido, sem grandes mistérios: o problemas das cotas das montadoras japonesas. Após decisões protetivas para o mercado, algumas montadoras asiáticas tiveram cotas de importação limitadas com taxas vantajosas. Ao ultrapassar essa quantidade determinada de unidades, a montadora perde os benefícios fiscais. Isso torna o produto mais caro – o que no caso dos chineses simplesmente não pode ocorrer, considerando em foco em competitividade.

No caso da JAC Motors no Brasil, o número mágico é 400. Quatro centenas de unidades podem ser trazidas todo o mês sem prejudicar o acordo. A vinda do JAC T3 2017 ultrapassaria a cota e, assim, o modelo já lançaria na mercado nacional com problemas para competir. A opção foi aguardar.

Chegada apenas na versão nacional

Ao que tudo indica, a ideia não é apenas aguardar. A nova data de lançamento, segundo fontes, só ocorrerá com a nacionalização do modelo. Mais precisamente, só haverá JAC T3 2017 quando a fábrica em Camaçari, na Bahia, estiver pronta.

Isso simplesmente retira o T3 do problema de cotas de uma vez por todas. O problema está na concretização do plano. Dada como certa, a instalação da planta baiana já não é tratada com o mesmo vigor anterior, e há o risco não ocorrer. Isso diminuiria as chances de uma suposta nacionalização da JAC.

Não parece haver, no entanto, muitas dúvidas em relação à vinda do T3. A empresa não anunciou outros planos de contingência para o caso de a fábrica baiana não ocorrer, o que revela uma certa tranquilidade aparente.

Acerto visual

Uma das primeiras coisas que chama a atenção no JAC T3 2017 é o visual. Embora não seja visualmente original ou singular, é bonito e bem resolvido, o que já é um bom começo para o modelo.

A JAC, aliás, nunca esteve entre as chinesas ruins de design. Obviamente, faltava a ela inspiração própria, com uma identidade visual que não pudesse ser atribuída, por vezes, a modelos mais conhecidos no mercado. O T3 segue o mesmo padrão, mas de forma melhorada. Ele é atrativo e parece cumprir a função que é esperada dele.

Conjunto mecânico

Sob o capô, o JAC T3 2017 deve contar com um conjunto muito semelhante ao J3. Isso significa um motor 1.4 a gasolina de potência próxima aos 110 cavalos, em seu máximo. O câmbio será possivelmente o manual, embora o CVT já tenha planos para estrear na montadora chinesa com o novo SUV – também marcado para chegar em 2017.

Comentar

Clique aqui e deixe seu comentário

Carros 2019: Confira os principais lançamentos

Recurso de multas