Início » Todos os posts » Veículos Aquáticos » Habilitação para aquáticos: tudo que você precisa saber

Habilitação para aquáticos: tudo que você precisa saber

Quando o assunto é habilitação para aquáticos, a quantidade de informações disponíveis e conhecidas pelo grande público é muito menor do que a quantidade disponível para habilitações terrestres e, não raras vezes, para as habilitações relacionadas a vôos.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é obrigatório que pessoas que utilizam barcos – mesmo aqueles de lazer – tenham uma carteira de habilitação correspondente à categoria do equipamento. Essa habilitação é emitida pela Marinha do Brasil, e é disponibilizada em várias categorias distintas.

Assim como ocorre na habilitação terrestre, que permite que cada categoria conduza um certo tipo de veículo com base no peso, no tamanho, na quantidade de rodas e na finalidade, as habilitações náuticas são divididas em categorias de Arrais, Veleiro, Motonauta, Mestre ou Capitão-Amador.

Saiba o que é necessário para adquirir a habilitação para aquáticos, o que cada uma dessas categorias permite navegar, e quais são as principais exigências de cada uma delas:

Como solicitar a habilitação aquática?

Atualmente, existem dois “caminhos” iniciais para a atividade. Se a intenção é simplesmente solicitar a habilitação para motos aquáticas é possível matricular-se em clubes aquáticos, marinos e centros náuticos que façam o curso de quatro horas práticas.

Este curso simples ensina os básicos para que se possa utilizar as motos aquáticas com segurança, e dá acesso à carteira Motonauta. Quem busca a carte inicial de Arrais precisará fazer o curso de Arrais Amador para começar sua trajetória, ou apresentar documentação que comprove experiência a bordo. Diferentemente da habilitação para Motonauta, o Arrais exige cadastro na Marinha brasileira, e não é oferecido de maneira particular.

Tipos de formação

Assim como nas CNHs terrestres, existem diferentes tipos de formação e categorias a serem seguidas na habilitação para aquáticos. Além da formação de Motonauta já citada no trecho anterior, existem as seguintes etapas de formação:

Arrais Amador

O arrais amador é o primeiro passo na trajetória da habilitação para aquáticos de portes maiores. O curso ensina os fundamentos básicos de legislação, primeiros socorros, navegação e regras específicas para que alguém possa navegar.

A habilitação permite a condução de barcos a remo, a vela ou motorizados, desde que nas zonas de navegação interior, que são as zonas de água doce ou canais e baías marítimas. O requisito para o curso é a idade mínima de 18 anos.

Mestre Amador

Um passo à frente na formação, o Mestre Amador adquire a permissão para navegações costeiras em zonas com acesso a pontos notáveis., além de aprender uma série de técnicas mais avançadas em relação à navegação e aos instrumentos. Este tipo de habilitação para aquáticos permite a negação a até 7 quilômetros da costa, além de dar acesso a portos.

O pré-requisito, neste caso, é que o candidato já tenha a habilitação de Arrais Amador.

Capitão Amador

A “última etapa” na habilitação para aquáticos dentro dos limites individuais é a de Capitão Amador, que dá acesso a barcos a remo, vela e motor sem limites de afastamento da costa, ensinando uma série de técnicas de localização, navegação e manutenção avançadas.

O pré-requisito é a habilitação como Mestre Amador.

Veleiro

Outra formação disponível, que foge do circuito de Arrais, Mestre e Capitão, é a habilitação para veleiro, que permite a navegação com caráter de lazer ou para competição. Neste caso, há a limitação exclusiva para veleiros com menos de 6 metros, sem motor. Os cursos podem ser ministrados por instituições particulares e não há exames.

Carros 2019: Confira os principais lançamentos

Recurso de multas