Início » Carros » Golf GTE 2017: Versão híbrida e mais potente

Golf GTE 2017: Versão híbrida e mais potente

Quem acha que o maior lançamento da VW no Salão do Automóvel de São Paulo será o facelift do Up!, certamente engana-se. É no mesmo evento que o início das vendas do Golf GTE 2017 acontecerão.

Ainda sem preço definido, a versão híbrida e potente do Golf começará a ser oficialmente distribuída pela marca. A ideia do Golf GTE é  manter o apelo esportivo da versão GTI, assim como todas as qualidades atribuídas ao Gold, em um modelo a gasolina e eletricidade.

O modelo contará com dois motores e uma série de tecnologias que o tornarão um dos mais econômicos do mercado.

Saiba tudo sobre este modelo antes do Salão do Automóvel de São Paulo:

Esteticamente parecido, completamente diferente sob o capô

Por fora, o Golf GTE 2017 não terá nenhuma diferença em relação à linha 2017, senão pequenos detalhes da versão. Linhas decorativas em azul claro marcam o carro por fora e pro dentro. É desta cor, por exemplo, que são feitas as costuras do veículo, indicando sua proximidade ecológica e tecnologia limpa.

Fora isso, são os traços e equipamentos típicos da linha Golf, com ferramentas e itens de segurança, dirigibilidade e conforto. O modelo contará com os faróis e lanternas de LED de série.

Motorizações

O VW Golf GTE funcionará com um sistema de motorização dupla. Um de seus motores será um 1.4 TSI BlueMotion, capaz de render 150 cavalos. Este será um motor de combustão praticamente igual ao que se utiliza em qualquer outro carro.

O segundo grupo propulsor é um motor elétrico de 75 kW, capaz de oferecer outros 102 cavalos de potência. Em conjunto, já considerando as perdas para adaptação, o modelo supera os 200 cavalos de potência (204 cv, mais precisamente).

Isso garante uma velocidade máxima superior a 220 km/h, fazendo a aceleração de 0 a 100 em apenas 7,6 segundos. Para quem associa carros híbridos a performances modestas, certamente é hora de rever alguns conceitos.

O sistema de câmbio será um automático com tecnologia DSG de seis velocidades, além da função Tiptronic, adaptada para a VW para a utilização em híbridos.

Autonomia e economia impressionantes

Para falar sobre os números de consumo, a VW não foi nada econômica – ao contrário do Golf GTE 2017. O modelo terá desempenho superior a 65km/l de combustível, no modo híbrido. Isso significa que um litro e meio de combustível é suficiente para rodar uma centena de quilômetros.

Se o proprietário preferir utilizar apenas o modo elétrico, pode andar até 50 quilômetros sem gastar um único litro de gasolina. Em modo híbrido, combinando os dois motores, a autonomia pode chegar quase a 940 quilômetros sem parar.

Para carregar a bateria, o plug-in estará sob a logo dianteira da VW, em frente ao motor. O procedimento poderá ser feito em uma tomada normal, e cerca de três horas e trinta minutos serão suficientes para a carga completa.

Preço ainda não confirmado

Até o momento, apenas aspectos técnicos foram apresentados a respeito do Golf GTE. Sua aparição por aqui ocorreu no início de setembro, não tratando de características mercadológicas, preço de mercado, ou competitividade do modelo.

Sabe-se, por óbvio, que seu custo será mais alto do que a versão GTI. No entanto, considerando que boa parte dos custos de um veículo por aqui dizem respeito à importação, a isenção fiscal para veículos elétricos do país certamente ajudará.

Há isenção de certa de 35% do Imposto de Importação para veículo elétricos no Brasil. Isso garante uma margem interessante para que a Volks trabalhe o preço do Golf GTE. Além disso, alguns municípios e estados do país oferecem isenções variadas para veículos elétricos e híbridos.

Em São Paulo, por exemplo, a valor do IPVA pode diminuir significativamente com a utilização de um modelo do tipo.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas