Início » Todos os posts » Carros » Gol Quadrado: a história da primeira geração

Gol Quadrado: a história da primeira geração

O carro mais vendido de toda a história da indústria automobilística do país possui três letras e é homônimo à melhor parte do esporte favorito no Brasil – e sua história começa com o famoso Gol quadrado. Hoje, diversas gerações depois e com um veículo muito mais tecnológico, o Gol quadrado ainda é lembrado e venerado por muitos.

Seja por uma questão de nostalgia, apreciação pela sua importância histórica ou – até mesmo – por admiração à capacidade de um carro sobreviver a períodos tão longos dentro da história do país, o Gol quadrado marca o início de uma paixão brasileira que, assim como o futebol, de onde surge seu nome, faz parte das características quase folclóricas da cultura local.

Saiba mais sobre a história e o lançamento do Gol quadrado:

História

gol-quadrado

Passada a metade da década de 1970, o Fusca já estava ultrapassado frente aos concorrentes mais modernos, como o Chevette e o Fiat 147, e precisava ser rapidamente substituído. Por isso, era necessária a criação de um novo modelo – capaz de atender à demanda brasileira, assim como suas condições de estrada.

Os carros produzidos pela VW na Alemanha não atendiam a estes requisitos bastante específicos do mercado nacional, o que gerou a necessidade da criação de um modelo novo destinado para o público brasileiro. Era importante, portanto, que este modelo novo fosse a base de uma série de outros veículos, sem a necessidade de desenvolver um projeto do zero para cada novo modelo que fosse chegar ao mercado brasileiro.

Projeto BX

Para a sorte do mercado automobilístico nacional, um dos projetistas da plataforma da primeira versão do Polo – Phillip Schmidt – está na VW brasileira e assumiu o desafio de desenvolver um novo modelo, que recebeu o codinome de Projeto BX.

Em 1976, começou a ser desenvolvido o primeiro protótipo que estaria pronto no final do ano seguinte. Com motor dianteiro, design anguloso e dois volumes, a versão hatchback foi escolhida para dar início ao visual do carro.

Em 1980, o Gol – que hoje é carinhosamente chamado de Gol quadrado – entrou no mercado com motor 1.3 e arrefecimento a ar, sem descontinuar o Fusca totalmente.

Lançamento do Gol

O nome inspirado no futebol seguiu, na verdade, a linha de nomes que a VW dava a seus carros na época (Polo, Golf e Derby são exemplos de veículos da montadora que atribuíam seus nomes a algum esporte popular em seu mercado de lançamento).

Embora oferecesse design atualizado para a época e bastante conforto, o Gol quadrado não teve o sucesso esperado pela montadora no início. Seria a única época da história das vendas do carro que foi verdadeiramente decepcionante.

Na prática, seu motor apresentava pouca potência – fato que era agravado pelo sistema de refrigeração a ar de seu motor. Na prática, a VW apostou em uma versão atualizada da mecânica ultrapassada do Fusca, que não correspondeu às expectativas do mercado.

gol-quadrado-marrom

Novo motor, novo segmento

Em 1981, a VW assumiu o erro ao lançar uma versão 1.6, com desempenho bastante superior, mas ainda arrefecido a ar. A mudança começou a gerar melhores resultados para o veículos. Outro fator que contribuiu para o estabelecimento do gol foi o lançamento do Voyage, seu sedã – este, com motor 1.5 finalmente arrefecido a água.

Nos anos seguintes, ainda foram lançadas a Parati e a Saveiro, enquanto o Gol quadrado finalmente tomava a proporção de vendas que hoje é atribuída a todas as gerações – culminando em mais de cinco milhões de carros vendidos durante a sua história.

Suas vendas passaram a fazer tanto sucesso, que a primeira grande mudança ocorreu apenas em 1994, na segunda geração do Gol – o chamado Gol Bolinha, que manteve o sucesso e os números impressionantes de venda deste best-seller nacional.

Carros 2019: Confira os principais lançamentos

Recurso de multas