Início » Carros » Fiat Mobi 2018: o que esperar do modelo?

Fiat Mobi 2018: o que esperar do modelo?

O Fiat Mobi 2018 certamente chama bastante a atenção da montadora italiana, uma vez que seu subcompacto ainda não atingiu os resultados desejados. Com a árdua missão de ocupar a entrada do catálogo da Fiat – conhecido por acumular dois dos três carros mais vendidos do Brasil durante anos – o pequeno ainda não oferece o número de vendas necessário para adquriir protagonismo.

Mesmo com lançamento recente, já se fala que o Mobi 2018 passará por reestilização significativa, mudanças tecnológicas e apostas em características novas, com a intenção de chamar a atenção do mercado de entrada, especialmente entre os jovens.

Confira o que já se sabe e o que é especulado sobre o Mobi 2018:

Preocupação com as vendas

A proposta de um urbano compacto, razoavelmente acessível e mais moderno parecia uma ideia teoricamente excelente no lançamento do subcompacto, especialmente dada a experiência da Fiat no segmentos.

Às vésperas de algum anúncio sobre o Mobi 2018, no entanto, não é exatamente isso que se observa. Fala-se muito mais nos ajustes necessários para o modelo do que sobre seus bons resultados, que parecem escassos.

É difícil determinar, até mesmo, se o problema está no modelo ou na proposta, uma vez que seu arqui-rival Up! da VW também não oferece excelentes resultados, com proposta razoavelmente parecida. Certamente é uma questão que deve ser questionada, considerando o gosto por SUVs cada vez maiores, que parece tomar conta do mercado.

Possibilidade de consolidação do três cilindros

Após o atraso da chegado do tri-cilíndrico para o Mobi e sua estreia finalmente ocorrendo em 2017, as expectativas que a combinação do novo motor e das mudanças melhorem os resultados do veículo são altas.

Fiat Mobi 2018

Desenvolvido para o uso urbano, faz muito sentido ter menos cilindros e baixa litragem – neste caso, 1.0. Para estes casos, os 73/75 cavalos de potência são suficientes, embora ainda haja algumas questões que claramente precisam ser melhoradas. Uma delas é a expectativa de atualização tecnológica que permitir a retirada do odiado “tanquinho” de gasolina do motor, para facilitar a partida a álcool no frio..

Visual segue em projeções

Atenção especial também deve ser dada para o fato de que o subcompacto ganhará cara nova em diversos pontos. Ao menos é essa a expectativa do mercado para a meia vida do modelo. Há basicamente dois caminhos a serem seguidos pelo modelo na linha Fiat.

O primeiro, é tornar-se mais próximo ao visual do Tipo, aos moldes italianos. A segunda possibilidade seria aproximar-se dos modelos que devem chegar em breve, chamados até então pelo codinome “família X6”.

O ponto de dúvida, no entanto, é que – até onde se sabe – o Mobi 2018 (assim como o atual) pouco tem a ver com o novo projeto latino-americano da Fiat, e ainda menos com o Tipo. Seu visual próprio da demonstrou não agradar, mas as atuais opções não parecem oferecer um caminho fácil para o modelo.

Aposta em abordagem jovem

O que é certo sobre o Mobi 2018 é o investimento em um apelo jovial e urbano. A estratégia foca na otimização dos custos para este segmento: moto pequeno e aproveitamento de tecnologias óbvias – como faz o sistema Live ON, que utiliza os dispositivos móveis dos próprios motoristas gerar uma espécie de central multimídia.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas