Início » Carros » Correia dentada: funções e manutenção

Correia dentada: funções e manutenção

Muitos proprietários de veículos já ouviram falar da temida correia dentada e, no entanto, não sabem do que se trata. Essa peça tem uma função vital no bom funcionamento do motor e o motivo de ela ser tão temida está no alto custo causado por um defeito nela. Contudo, ao conhecer um pouco mais sobre sua função e sua importância é possível ver que esse temor é infundado.

Assim como todas as outras partes do carro, a correia dentada é uma peça que merece ser alvo de constante atenção e manutenção. Por isso fique atento ao seu modelo de carro e siga sempre as recomendações do seu fabricante. Vamos agora analisar os principais pontos sobre a correia dentada.

Correia dentada

Correia dentada: o que é?

De maneira bastante sucinta, a correia dentada é uma espécie de cinta feita de material flexível que atua na sincronização das válvulas do motor. Essa sincronização é de fundamental importância, pois alterna entre a entrada de ar e combustível e a saída dos gases resultantes da combustão. Basicamente falando, o bom funcionamento da correia dentada acarreta o funcionamento harmônico do motor e suas peças.

Não é recomendado que você mexa nas partes vitais do seu veículo por conta própria, mas ao abrir o capô, dependendo do seu modelo de carro, você pode visualizar a correia dentada girando em alta rotação. Contudo, isso não é regra, pois em muitos modelos esta peça encontra-se protegida por uma capa e, portanto, não fica visível.

Quais problemas pode acarretar?

Quando a correia dentada arrebenta, as consequências para o motor podem ser severas. Isso porque, ao arrebentar, muitas das partes do motor ficam sem sincronização e acabam colidindo umas com as outras. O estrago pode acabar sendo maior ainda se você estiver trafegando em alta velocidade no momento em que a correia dentada arrebentar.

Assim, caso a correia dentada se rompa, prepare-se para um gasto extra. No momento do ocorrido pise fundo na embreagem e desligue o motor. Não tente ligá-lo novamente, chame o reboque e dirija-se imediatamente para sua oficina de confiança. Os gastos irão depender do seu modelo de carro, mas em média vão de mil a quatro mil reais. O processo de reparo do motor nesses casos chama-se Retificação, que pode ser feito no cabeçote ou no motor inteiro, dependendo do tamanho do dano.

Como realizar uma boa manutenção?

A manutenção da correia dentada é alvo de controvérsias. Alguns dizem que ela deve ser alvo de manutenção semestral, outros afirmam que só se deve trocá-la entre 40.000 e 100.000 quilômetros. Por isso o melhor é seguir à risca o que o manual do seu veículo recomenda. Lá estará discriminado qual tipo de peça seu carro usa e de quanto em quanto tempo você deverá trocá-la.

Fora isso, procure sempre manter as revisões em dia com a sua concessionária. Talvez o custo disso seja mais caro do que manter um mecânico de confiança, contudo, a garantia de um serviço especializado para o seu modelo você só tem na sua concessionária. Como já citado antes, muitas vezes a correia fica escondida dentro de uma proteção, por isso, para avaliar seu estado só existe a possibilidade de um mecânico especializado analisar a situação.

Correia ou corrente?

Muito se discute também sobre a diferença entre a correia dentada e as correntes que são usadas em alguns veículos. Em relação à sua função, não há diferenças: ambas executam a sincronização das válvulas do motor. Todavia, as correntes são modelos fabricados com metal e, por isso, apresentam uma vida útil mais prolongada.

Então, posso trocar minha correia dentada por uma corrente de metal? A resposta é não. Seu modelo de carro funciona ou com uma, ou com outra, e trocar não é viável. Fora isso, também vale ressaltar que embora dure mais, a corrente apresenta um maior preço de manutenção e troca se comparada com a correia dentada.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas