Início » Carros » Como fazer chupeta no carro? Aprenda técnicas e dicas

Como fazer chupeta no carro? Aprenda técnicas e dicas

Uma das estratégias emergenciais para o fim da bateria é fazer chupeta no carro de alguém altruísta o suficiente para ceder um pouco da energia do equipamento do seu próprio veículo. A verdade é que essa ligação entre duas baterias já é bastante tradicional, e sua correta realização é razoavelmente simples.

Atualmente, é muito comum que os carros simplesmente não oferecem sinais prévios de que a bateria está acabando. No passado, era bastante comum que “falhassem” por algum tempo antes de pararem de funcionar de maneira definitiva, dando oportunidade de fazer a troca de maneira organizada.

Fazer chupeta no carro

Hoje, no entanto, é necessário saber quando trocar, ou torcer para que essa acabe quando for conveniente. É óbvio que o ideal é ter um planejamento para a troca, sem ser necessário que a bateria acabe completamente antes de ser substituída.

De qualquer forma, saber fazer chupeta no carro de alguém pode salvar você de alguma situação complicada, por isso é sempre importante adquirir este conhecimento que pode parecer específico, mas pode garantir que você não fique a noite inteira esperando por um guincho só porque a bateria do seu carro acabou.

Quando é necessário fazer a chupeta?

A técnica é necessária quando a bateria parece não ser mais capaz de fornecer a tensão suficiente para que o motor dê partida. Em geral, isso é resultado não apenas do uso constante do veículo, mas de algumas situações clássicas.

É o caso já conhecido de deixar o veículo estacionado com equipamentos ligados em seu interior (ou os faróis, ou luzes internas) e estes equipamentos consumirem a carga restante no equipamento.

Como fazer chupeta no carro?

O primeiro passo para fazer o procedimento, é claro, consiste em reunir os equipamentos necessários. Um carro com a bateria boa e um cabo de tensão com garras do tipo jacaré – geralmente aqueles cabos em preto e vermelho. Coloque um veículo de frente para o outro com os capôs abertos, de forma que o cabo consiga alcançar.

Desligue todas as luzes e equipamentos dos dois veículos. Conecte o cabo negativo – geralmente o preto – ao polo negativo da bateria de cada um dos carros. Na própria bateria, há um sinal de “menos” indicando o pelo negativo, e um sinal de “mais” indicando o polo positivo. No polo positivo de cada bateria, conecte as garras do cabo vermelho.

Certifique-se de que o cabo esteja bem engatado em todas as conexões e dê partida no carro com bateria em bom nível. Aguarde cerca de dois ou três minutos e dê partida no carro que estava sem funcionar, que deverá ser capaz de pegar, se o problema realmente era a bateria.

Para desconectar, sempre retire antes o cabo preto dos dois lados, sem encostar no vermelho. Só então retire as conexões dos lados positivos. Isso garantirá sua integridade física, e tornará o procedimento muito mais seguro para todos os envolvidos.

Fazer chupeta no carro é arriscado?

Seguindo-se os passos indicados neste artigo, fazer o procedimento tende a ser bastante seguro. Mesmo assim, é necessário considerar que você estará tratando de energia elétrica com uma potência significativa, e que sempre há riscos envolvidos.

Oficialmente, as montadoras e manuais dos carros não recomendam a realização da chupeta. Com o procedimento mal feito, há chances de que ocorram desestabilizações em alguns instrumentos dos carros (que são cada vez mais numerosos) e, em casos extremos e com equipamentos problemáticos, é possível que ocorra um curto-circuito com potencial de gerar danos ao motor.

Estes riscos, no entanto, são significativamente reduzidos. Por isso, é sempre essencial dar atenção e realizar o procedimento de maneira cuidadosa, a fim de minimizar as chances de que tais problemas ocorram.

Carros 2018: Confira os principais lançamentos

Acompanhe nossas atualizações

Recurso de multas